Ectrópio

ectropio

Ectrópio é o nome dado a uma falha mecânica no músculo palpebral, que faz com que a pálpebra inferior fique caída e se afaste do globo ocular. O nome deste processo de afastamento da pálpebra é conhecido como eversão da margem palpebral, e pode acometer apenas um olho ou os dois simultaneamente.

O grande problema do ectrópio é que ele deixa muitas partes sensíveis do olho expostas, como a córnea, a conjuntiva e o vítreo, e pode provocar conjuntivites crônicas ou ceratites (inflamações da córnea).

Os sintomas do ectrópio são irritação, ardência, sensação de areia (corpo estranho), secreção constante, dor e lacrimejamento do olho atacado.

O ectrópio pode ser congênito ou adquirido.

Ectrópio Congênito:

O caimento das pálpebras inferiores aparece já desde o nascimento da criança, e está relacionado a uma deficiência da lamela (camada) anterior, que faz o revestimento e proteção da pálpebra.

É uma patologia considerada rara em sua forma congênita, e pode ser visto em pacientes que apresentem alguns tipos específicos de síndromes.

Ectrópio Adquirido:

O Ectrópio Adquirido pode ser de 4 tipos, dependendo de suas causas:

Involucional: é a forma mais comum de Ectrópio, e está relacionado à flacidez e desgaste dos ligamentos da pálpebra, provocados pelo avanço da idade.

Cicatricial: é o ectrópio que provoca o encurtamento da lamela anterior durante o processo de cicatrização das estruturas palpebrais, decorrentes de traumas, queimaduras, processos inflamatórios crônicos ou como complicação de procedimentos cirúrgicos.

Mecânico: tipo de ectrópio associado à presença de algum tumor na margem da pálpebra ou próxima a ela.

Paralítico: associado à paralisia facial, que provoca perda de tonificação do músculo das pálpebras.

Tratamento

A correção do ectrópio é feito de forma cirúrgica, considerando o histórico da patologia, as condições gerais do paciente e de acordo com a causa.

O procedimento cirúrgico tem o objetivo de reposicionar a pálpebra, voltando-a à sua posição original, facilitando a drenagem das lágrimas e evitando infecções secundárias decorrentes da exposição ocular. Existem várias técnicas que podem ser empregadas, e a decisão deve ser sempre do cirurgião oftalmologista do Hospital de Olhos do Vale.

Nós, do Instituto de Olhos do Vale, estamos à disposição se você quiser tirar dúvidas sobre a doença e seu tratamento. Agende uma consulta com o oftalmologista em Cruzeiro- SP, e mantenha a saúde dos seus olhos em dia.

Quer saber mais sobre as doenças oculares? Acesse a Área de Atendimento e entre em contato conosco. Se preferir, ligue (12) 3211-9010