Glaucoma

glaucoma

Glaucoma é uma doença ocular progressiva que provoca lesões no nervo óptico, levando à perda de campo visual do paciente.

O Glaucoma está geralmente associado ao aumento da pressão intra ocular do olho. Para entender o que é a pressão intra ocular, é preciso entender o que é o humor aquoso.

O globo ocular é preenchido por um tipo de líquido gelatinoso transparente chamado humor aquoso. A função do humor aquoso é manter o formato esférico do globo ocular e nutrir as estruturas do segmento interno no olho. O humor aquoso é produzido continuamente pelo olho e, quando ele termina a sua função, é drenado para fora, através da malha trabecular – canais de drenagem que ficam próximos da córnea e da íris.

A movimentação de entrada e saída do humor aquoso geram uma pressão, que é a pressão intra ocular. Quando a malha trabecular pára de drenar o humor aquoso, por algum motivo, então o líquido fica comprimido dentro do globo ocular, o que acarreta no aumento da pressão intra ocular e provocando lesões nas células do nervo óptico.

A visão perdida por glaucoma não pode ser recuperada.

O Glaucoma é a segunda maior responsável pelos casos de cegueira em todo o mundo. Há cerca de 150 mil novos casos no Brasil anualmente, e este número pode ser ainda maior, já que a doença se apresenta assintomática na maioria dos casos.

Fatores de risco

A causa para o desenvolvimento do Glaucoma é o aumento da pressão intra ocular (ou PIO), que está associado a alguns fatores de risco:

  • Idade: o Glaucoma está associada ao processo natural de envelhecimento do corpo. A incidência de casos é 2 vezes maior em pessoas acima dos 70 anos de idade;
  • Histórico Familiar: o Glaucoma é até 10 vezes mais frequente em pessoas que apresentem casos de Glaucoma na família, especialmente entre parentes de primeiro grau (pais /irmãos / filhos);
  • Etnia: pessoas da raça negra são 4 vezes mais propensos a desenvolver o Glaucoma, e a doença tende a ser mais grave nestes indivíduos.

Outros fatores que podem influenciar no desenvolvimento do Glaucoma são doenças cardiovasculares, enxaquecas constantes, Diabetes, pessoas com Miopia Alta ou como complicação de cirurgias intra oculares.

Tipos de Glaucoma

O Glaucoma pode ser classificado em vários tipos, de acordo com a causa ou motivo da obstrução no processo de drenagem do humor aquoso. São eles:

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO

O posicionamento da córnea em relação à íris, dentro do segmento anterior, é chamado de ângulo. este ângulo dá acesso à malha trabecular, que faz a drenagem do humor aquoso.

Normalmente, o ângulo entre a íris e a córnea é chamado de aberto, porque deixa uma abertura razoável para a passagem do líquido.

Neste tipo de Glaucoma, a drenagem do humor aquoso fica parcialmente obstruída devido ao acúmulo de material biológico nos poros de drenagem – por isso é uma doença de maior incidência em pessoas de idade avançada, relacionada ao processo de envelhecimento.

O Glaucoma Primário de Ângulo Aberto é considerada uma doença bastante perigosa, porque o desenvolvimento e progressão desta doença é, na grande maioria dos casos, assintomática. O paciente não apresenta dores, desconforto nos olhos e nem percebe a queda no campo visual até que o Glaucoma já esteja bastante avançado. É comum que os pacientes deste tipo de Glaucoma só procurem um oftalmologista depois de já terem perdido cerca de 30% da visão – lembrando que a perda de visão por Glaucoma é irreversível.

Com a obstrução à drenagem e consequente represamento do humor aquoso dentro do olho ocorre um aumento da pressão intra-ocular que pode levar a sofrimento do nervo óptico. O dano ao nervo óptico se processa através de perda lenta e progressiva de fibras nervosas, com consequente perda visual.

A ausência de sintomas acaba impossibilitando um diagnóstico precoce, e não há um tratamento preventivo que possa ser feito. A melhor saída é manter um acompanhamento oftalmológico constante e incluir exames oftalmológicos regulares.

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO FECHADO

Este é um tipo mais raro de Glaucoma, sendo responsável por cerca de 10% dos casos da doença. Ele está relacionado à dificuldade de drenagem do humor aquoso devido ao ângulo fechado – ou seja, o ângulo entre a córnea e a íris é pequeno e tende a “tampar” a malha trabecular.

O Glaucoma de Ângulo Fechado pode se apresentar de forma crônica (com progressão lenta e por longo período de tempo) ou aguda (progressão rápida e em pouco tempo).

Em sua forma crônica, O quadro clínico é semelhante ao quadro do Glaucoma de Ângulo Aberto, e é normalmente assintomático. Alguns pacientes apresentam sintomas como vermelhidão, desconforto nos olhos, visão borrada ou cefaleia que melhora com o sono.

Porém, já em sua forma aguda, há muitos sintomas: visão embaçada, halos coloridos, dor intensa, vermelhidão ocular, náuseas e vômitos. As queixas sistêmicas devido aos sintomas podem ser tão graves que os pacientes são diagnosticados erroneamente com problemas gastrointestinais ou neurológicos.

Os casos de Glaucoma Agudo de Ângulo Fechado devem ser tratados como emergências médicas. A condição é tão severa que pode levar à perda da visão em algumas horas.

GLAUCOMA DE PRESSÃO NORMAL

Nem sempre o paciente apresentará alteração na pressão intra ocular – estes são os casos de Glaucoma de Pressão Normal (GPN).

O quadro clínico deste tipo de Glaucoma é semelhante ao de Glaucoma de Ângulo Aberto. O paciente não sente desconforto ou dor e, quando percebe, já perdeu parte da visão periférica.

A diferença entre os dois é que, quando este paciente procura o oftalmologista, a pressão intra ocular dele está dentro da faixa considerada normal.

GLAUCOMA CONGÊNITO

São os casos de Glaucoma que se apresentam já desde o nascimento. Nestes casos, a obstrução no sistema de drenagem do humor aquoso é provocada pelo aparecimento e crescimento anormal de tecidos, que cobrem e impermeabilizam a malha tabecular.

O Glaucoma Congênito é considerado raro, e pode se manifestar até o 18º mês depois do nascimento.

A criança com suspeita de Glaucoma apresenta sintomas como lacrimejamento constante, fotofobia, córnea com aspecto fosco ou apagado e aumento visível no tamanho do globo ocular (conhecido como buftalmia).

Este tipo de glaucoma pode estar associado a outras malformações oculares ou sistêmicas.

GLAUCOMA SECUNDÁRIO

Estes são os casos em que o Glaucoma tem seu aparecimento associado a outros fatores, como processos inflamatórios ou infecciosos, traumas, hemorragias, tumores oculares, uso excessivo de medicamentos (principalmente corticoides), etc.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

  • Como você pode ver, o diagnóstico precoce do Glaucoma é bastante complicado. Somente um oftalmologista do IOVALE especializado poderá determinar a existência do Glaucoma. Para isso, o paciente precisará passar por uma rotina de exames oftalmológicos que podem auxiliar no diagnóstico. Para saber quais são os exames de Glaucoma, clique aqui.
  • O Glaucoma NÃO TEM CURA, e a visão perdida não pode ser recuperada. Mas é possível controlar a progressão da doença e evitar mais perda de campo visual. Para saber mais sobre os tratamentos do Glaucoma, clique aqui.

Nós, do Instituto de Olhos do Vale, estamos à disposição se você quiser tirar dúvidas sobre a doença e seu tratamento. Agende uma consulta com o oftalmologista em Guaratinguetá- SP, e mantenha a saúde dos seus olhos em dia.

Quer saber mais sobre o Glaucoma? Acesse a Área de Atendimento e entre em contato conosco. Se preferir, ligue (12) 3211-9010