Retinopatia Diabética

retinopatia-diabetica

Retinopatia é o termo usado para denominar formas de lesões não inflamatórias que acometem a retina, tecido nobre dos olhos. Normalmente, a Retinopatia está associada a problemas nos vasos sanguíneos que fazem a nutrição da retina.

A Retinopatia Diabética é um dos tipos de retinopatia existentes. A doença é uma das complicações geradas pelo Diabetes – doença metabólica crônica, que provoca a queda ou parada total na produção de insulina, hormônio responsável pelo processamento da glicose no organismo.

Quando os níveis de glicemia estão altos, significa que há excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Estes açúcares não processados podem desencadear uma série de outras doenças, como a Retinopatia Diabética.

Ao contrário do que acontece na Retinopatia da Prematuridade, a Retinopatia Diabética é desencadeada quando os açúcares em excesso no sangue passam a obstruir os vasas sanguíneos que irrigam a retina e toda a estrutura do fundo de olho.

Os vasos sanguíneos comprometidos ficam fracos e sangram, em pequenas hemorragias que nunca param. Estes sangramentos também alteram o vítreo (parte branca do olho), que se retrai e pode levar ao descolamento de retina.

A doença pode se manifestar muitos anos depois que o paciente recebe o diagnóstico da Diabetes, e em caráter progressivo – o que quer dizer que ela pode piorar muito com o tempo. É considerada uma doença de alta gravidade, e pode levar à perda no campo visual ou cegueira de forma não reversível se não diagnosticada e tratada a tempo.

Tipos de Retinopatia Diabética

Existem dois tipos de retinopatia diabética: a não-proliferativa e a proliferativa.

Retinopatia Diabética Não Proliferativa:

É o estágio inicial da doença. Geralmente é diagnosticada quando já há danos nos vasos sanguíneos do fundo do olho e que provocam hemorragias e vazamentos na retina – chamados de edema de mácula diabético.

Muitos pacientes manifestam a forma leve ou moderada da doença, e podem não apresentar sintomas visuais.

Retinopatia Diabética Proliferativa:

Fase mais avançada da doença, e que apresenta grande risco de perda completa e irreversível da visão. O diagnóstico geralmente é feito quando há crescimento de vasos anormais no fundo olho, porque a malha sanguínea já não consegue mais suprir a retina e o nervo óptico.Estes vasos provocam hemorragias vítreas, que causam embaçamento na visão, e descolamento da retina.

Sintomas

A retinopatia não costuma apresentar sintomas em seus estágios iniciais. O paciente pode já ter a doença mas não perceber qualquer distúrbio na visão. A piora na acuidade visual é progressiva e vem de forma lenta, e pode levar à perda completa da visão quando a doença não é tratada.

O primeiro sintoma a ser identificado é quando há a hemorragia vítrea. Neste ponto, o paciente poderá enxergar pontos de sangue ou manchas flutuantes na visão.

Ao primeiro sinal de visão borrada, ou qualquer outra alteração, procure um oftalmologista do Iovale.

Prevenção

O Diabetes é uma doença que se desenvolve lentamente, e que pode desencadear outras patologias, como Catarata, Glaucoma e Retinopatia.

Por isso, é importante manter as taxas glicêmicas sob controle com o auxílio de um médico especializado nem Diabetes. Além disso, assim que se recebe o diagnóstico, é importante manter um acompanhamento oftalmológico regular, para acompanhar o desenvolvimento de doenças oculares associados ao Diabetes.

Nós, do Instituto de Olhos do Vale, estamos à disposição se você quiser tirar dúvidas sobre a doença e seu tratamento. Agende uma consulta com o oftalmologista em Cruzeiro- SP, e mantenha a saúde dos seus olhos em dia.

Você pode saber mais sobre Retinopatia Diabética com o Infográfico Gratuito que o Iovale preparou para você, baixe o conteúdo:

infografico-retinopatia

Quer saber mais sobre as doenças oculares? Acesse a Área de Atendimento e entre em contato conosco. Se preferir, ligue (12) 3211-9010